Micropil, quais os efeitos deste anticoncepcional?

Micropil, quais os efeitos deste anticoncepcional? Tem algum perigo para saúde tomar o Micropil com outro medicamento? Será que ele engorda? Tem diferença para o Micropil R21? Neste post falaremos um pouco sobre os efeitos colaterais deste contraceptivo combinado que é fabricado pela EMS Sigma Pharma, mesma fabricante do Niki, Dalyne, Alexa, Malú e outros.

Micropil, quais os efeitos?

O Micropil é composto por 0,075 mg de gestodeno e 0,030 mg de etinilestradiol. Mesma composição do Gestinol, anticoncepcional fabricado pela Libbs. A diferença dele para o Micropil R21 é a quantidade de etinilestradiol, o Micropil R21 contém menos quantidade, 0,020 mg de etinilestradiol.

Os efeitos colaterais mais comuns do Micropil e Micropil R21 são:

  • dor de cabeça (incluindo enxaqueca)
  • sangramento de escape
  • inflamação na vagina (incluindo candidíase)
  • alteração no humor
  • acne
  • alteração na libido
  • nervosismo
  • tontura
  • enjoo
  • vomitos
  • dor abdominal
  • dor ou aumentos na sensibilidade das mamas
  • secreção das mamas
  • cólica menstrual
  • alteração do fluxo menstrual
  • amenorreia
  • retencão de líquidos (inchaço)
  • alterações no peso (perda ou ganho)
Micropil, quais os efeitos deste anticoncepcional?
Micropil, quais os efeitos deste anticoncepcional?

Entre as reações incomuns (ocorre ente 0,1% e 1% das pacientes) e raras (ocorre ente 0,01% e 0,1% das pacientes) estão alteração de apetite, cólicas abdominais, manchas escuras na pele do rosto, perda de cabelo, aumento da pressão, reação alérgica grave, aumento das taxas de açúcar no sangue, intolerância à lente de contato, distúrbios tromboembólicos arteriais e venosos, entre outras.

Se notar algum desses efeitos indesejados acima ou algum outro efeito que acredite ter sido causado pelo remédio, fale imediatamente com seu médico. Ele irá analisar se vale a pena continuar com este anticoncepcional ou se você deve trocar por outro.

Micropil engorda?

Não existem evidências científicas de que os anticoncepcionais fazer as mulheres engordarem. Na própria bula vem escrito que pode ocorrer ganho ou perda de peso.

Estudos sugerem que eles podem até fazer a mulher engordar um quilo ou dois, devido à retanção de líquido. Mas esses quilos desaparecem depois de uns três meses. Ganhos de quilos acima desses valores, são devido ao aumento de consumo de calorias no dia a dia e não causados pelo contraceptivo.

Tem risco de trombose nos efeitos do Micropil?

O uso de contraceptivo oral combinado aumenta o risco de eventos tromboembólicos e trombóticos venosos e arteriais, não importa qual você esteja utilizando. Por isso é sempre importante ter cuidado e acompanhamento médico. De acordo com a Anvisa,  mulheres que usam anticoncepcionais contendo drospirenona, gestodeno ou desogestrel (caso das pílulas) têm um risco de 4 a 6 vezes maior de desenvolver tromboembolismo venoso, em um ano, do que as mulheres que não usam contraceptivos hormonais.

O Micropil ou Micropil 21 não são recomendados para mulheres que apresentem história anterior ou atual de trombose venosa profunda, história anterior ou atual de tromboembolismo, doença vascular cerebral (derrame) ou coronariana arterial (infarto do coração), valvulopatias trombogênicas,  distúrbios trombogênicos, trobofilias hereditárias ou adquiridas.

Quando não usar este contraceptivo de gestodeno?

O Micropil ou Micropil R21 não devem ser utilizados por mulheres que tenham:

  • cefaleia com sintomas neurológicos focais;
  • hipertensão;
  • diabetes com envolvimento vascular;
  • trombofilias;
  • distúrbios trombogênicos;
  • valvulopatias trombogênicas;
  • história anterior ou atual de trombose venosa profunda;
  • história anterior ou atual de tromboembolismo, doença vascular cerebral ou coronariana arterial;
  • carcinoma da mama;
  • adenomas ou carcinomas hepáticos;
  • doença hepática ativa;
  • sangramento vaginal sem causa determinada;
  • história anterior ou atual de pancreatite associada a hipertrigliceridemia severa.

Também não são indicados para mulheres com suspeita ou ocorrência de gravidez.

Quais remédios podem interagir com este contraceptivo?

É importante saber que alguns medicamentos podem reduzir a eficácia dos contraceptivos orais Micropil e Micropil R21, pois interagem com o etinilestradioal, diminuindo ou aumentando sua concentração na corrente sanguínea.

Quando a concentração deste composto é baixa, pode ocorrer sangramento inesperado, reduzindo eficácia. Alguns medicamentos que podem causar o sangramento inesperado são:

  • substância que reduza o tempo do trânsito gastrintestinal;
  • medicamentos como rifampicina (tuberculose), rifabutina e barbitúricos (anestesias), fenibutazona, fenitoína (epilepsia), dexametasona e grisefulvina (antifúngicos), topiramato (epilepsia), modafinila (distúrbios do sono);
  • medicamentos para doenças do coração, pressão alta como verapamil e diltiazem;
  • Erva de São João e ritonavir;
  • antibióticos como ampicilina e outras penicilinas.

Alguns medicamentos que podem aumentar concentração de etinilestradiol no sangue:

  • atorvastatina;
  • ácido ascórbico e o paracetamol;
  • indinavir, fluconazo e troleandomicina.

Além disso ele não deve ser utilizado junto com medicamentos antivirais contra o vírus da hepatite C como ombitasvir, paritaprevir, ritonavir e dasabuvir.

Sempre analise a bula de qualquer remédio quando estiver utilizando o Micropil ou Micropil R21. Se ficar na dúvida, converse com seu médico para saber se pode fazer uso concomitante com o que estiver tomando. Eles também podem alterar alguns exames laboratoriais, avise ao laboratório se precisar fazer exame de sangue ou algum outro teste.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.