Amora, quais os efeitos deste anticoncepcional?

Amora, quais os efeitos deste anticoncepcional? Este contraceptivo tem algum perigo para saúde? Ele engorda? Neste post falaremos um pouco sobre o Amora, medicamento fabricado pela Eurofarma, mesmo fabricante do Desogestrel, Drospiperona, Molièri, Tâmisa e outros. Também explicaremos se ele interage com outros medicamentos, se há perigo de trombose e se tem alguma restrição de uso.

Amora quais os efeitos colaterais?

O Amora contém 2mg de acetato de clormadinona e 0,03mg etinilestradiol em sua composição. Mesma composição do Aixa fabricado pela Sanofi Medley, e do Belara fabricado pela Grünenthal.

Seus efeitos colaterais mais comuns são:

  • náusea
  • corrimento vaginal
  • dor durante a menstruação
  • ausência de menstruação
  • sangramento de privação (menstruação que vem quando se toma pílula)
  • depressão
  • irritabilidade
  • nervosismo
  • tontura
  • enxaqueca
  • distúrbios visuais
  • vômitos
  • acne
  • dor no abdômen
  • cansaço
  • sensação de peso nas pernas
  • aumento de peso
  • aumento da pressão arterial

Além disso podem ocorrer reações mais raras (entre 0,1% e 1% das mulheres) como dor abdominal, reação alérgica ao medicamento, diarreia, perda de cabelo, pele seca, dor nas costas, problemas musculares, secreção das mamas, candidíase, diminuição da libido, aumento nos triglicerídeos, entre outras.

Se sentir algum desses efeitos colaterais ou algum outro problema, que acredite que esteja relacionado ao medicamento, entre em contato imediato com seu médico. Ele poderá analisar se os benefícios compensam os problemas que podem estar ocorrendo.

Existe risco de trombose nos efeitos do Amora?

Qualquer contraceptivo hormonal combinado aumenta o risco de coágulos de sangue nas veias e nas artéria, principalmente no primeiro ano de uso, e o mesmo vale para o Amora.

Quais os efeitos do anticoncepcional Aixa?
Quais os efeitos do anticoncepcional Amora?

Estudos mostraram que pílulas do tipo “combinado”, que unem derivados do estrogênio (etinilestradiol ou estradiol) a outro hormônio, aumentam a incidência de trombose. Mas ainda não se tem estudos comparando como contraceptivos orais combinados (COCs) contendo acetato de clormadinona + etinilestradiol, influenciam o risco de tromboembolismo venoso, quando comparado com outros COCs.

Por isso este medicamento não é recomendado para mulheres que tenham histórico anterior ou atual de distúrbios tromboembólicos e trombóticos arteriais e venosos. Também não é recomendado para mulheres com IMC maior que 30 Kg/m², que tenham pressão alta, distúrbios cardíacos, diabetes, que fuma ou que sofram de algum outro problema que possa aumentar o risco de trombose ou embolismo pulmonar.

O amora engorda?

Ainda existem poucos estudos sobre o ganho de peso relacionado aos contraceptivos orais combinados que contêm acetato de clormadinona e etinilestradiol em sua composição. Um estudo recente mostrou que o aumento de peso foi maior nas mulheres que utilizaram esta pílula, quando comparado com outras que utilizaram COC contendo drospirenona + etinilestradiol. Mas como o estudo foi realizado com poucos participantes, não pode-se afirmar de fato que este seja o caso para a maioria das mulheres.

De acordo com a bula do medicamento, um estudo observacional com mais de 20 mil mulheres, mostrou que elas mantiveram o peso após 4 ciclos de uso.

Portanto ainda são necessárias mais evidências, para que se possa confirmar que o Amora faça engordar. Inclusive, um review com 44 estudos mostrou que as pílulas podem até fazer a mulher ganhar um quilo ou dois, mas esses quilos costumam desaparecer depois de uns três meses.

Quando não deve usar este contraceptivo?

A pílula amora não deve ser utilizada se você:

  • estiver grávida ou suspeita;
  • for alérgica às substâncias da composição;
  • observar os primeiros estágios ou sinais de coágulo sanguíneo, inflamação das veias ou embolismo;
  • tiver histórico de problemas nas veias e artérias;
  • for forçada a ficar parada por longo período;
  • tiver diabetes sem controle;
  • tiver pressão alta difícil de controlar ou se a pressão aumentar muito;
  • em caso de distúrbio de coagulação do sangue;
  • sofrer inflamação do fígado;
  • tiver coceira no corpo;
  • bilirrubina estiver elevada;
  • tiver um tumor no fígado;
  • tiver dor intensa no estômago;
  • sofrer de porfiria;
  • tiver ou teve tumor maligno dependente de hormônios;
  • sofrer de distúrbios graves do metabolismo de gorduras;
  • sofrer ou tiver sofrido de inflamação do pâncreas devido ao aumento de gorduras no sangue;
  • estiver com enxaqueca pela primeira vez;
  • sofrer de dor de cabeça incomum, intensa, frequente ou de longa duração;
  • tiver problemas de visão ou audição repentinos;
  • tiver sinais de paralisia;
  • houver piora de crises epilépticas;
  • sofrer depressão grave;
  • sofrer de otosclerose;
  • não menstruar por algum motivo;
  • ocorrer sangramento vaginal.

Esse medicamento também não devem ser utilizados caso esteja utilizando substâncias como ombitasvir, paritaprevir, ritonavir e dasabuvir, ou que contenham glecaprevir e pibrentasvir.

Remédios que podem interagir com o Amora

O amora não deve ser utilizado junto de medicamentos que contenham ombitasvir, paritaprevir, ritonavir e dasabuvir, com ou sem ribavirina, e com glecaprevir e pibrentastavir. Pois pode ocorrer aumento do nível da alanina aminotransferas (ALT).

Além disso, esta pílula não deve ser utilizada com:

  • medicamentos que induzem o metabolismo do fígado (pois podem alterar o efeito contraceptivo);
  • remédios que estimulam o movimento intestinal (pois podem alterar o efeito contraceptivo);
  • medicamentos fitoterápicos contendo a Erva de São João;
  • ácido ascórbico, paracetamol ou outro medicamento que inibe metabolização do etinilestradiol (pois podem aumentar concentração sanguínea do etinilestradiol);
  • atorvastatina (pois pode aumentar concentração sanguínea do etinilestradiol);
  • antifúngicos imidazólicos, indinavir ou troleandomicina (pois podem aumentar concentração sanguínea do etinilestradiol).

O Amora também pode ainda reduzir a excreção de diazepam, ciclosporina, teofilina ou prednisolona, aumentando sua concentração no sangue. E pode reduzir o efeito de preparações contendo lamotrigina, clofibrato, paracetamol, morfina ou lorazepam. Fique alerta!

Além disso ele pode alterar exames laboratoriais, informe seu médico e ao laboratório, caso tenha que realizar exame de sangue. Nunca utilize medicamentos por conta própria, é importante o acompanhamento médico constante.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.