Bebida alcoólica mata células do cérebro, verdade ou mito?

É verdade que bebida alcoólica mata células do cérebro ou é mito? As pessoas podem ter problemas mentais ou danos a longo prazo resultantes de anos de uso bebida alcoólica em excesso? Neste post falaremos um pouco sobre as evidências científicas relacionadas ao consumo de bebida alcoólica, o cérebro e os neurônios.

As evidências sobre bebida alcoólica e as células do cérebro

A ciência já descobriu que o consumo de bebida alcoólica não mata as células do cérebro (os neurônios), mesmo para quem bebe em excesso. Portanto essa frase é um mito. Mas, infelizmente, ela pode danificar as extremidades dos neurônios, que são chamados de dentritos, e isso dificulta a transmissão de mensagens entre eles.

O consumo de bebidas não mata as células cerebrais inteiras mas pode danificar as conexões entre elas.

Ou seja, o consumo excessivo de bebida alcoólica a longo prazo pode sim modificar o cérebro, pois altera a maneira que as células se comunicam uma com as outras, o que pode prejudicar o aprendizado e coordenação motora.

Bebida alcoólica mata células do cérebro, verdade ou mito?
Bebida alcoólica mata células do cérebro, verdade ou mito?

Alguns estudos mostram que o cérebro em desenvolvimento é mais vulnerável aos danos, portanto adolescentes e nascituros são os que estão em maior risco. Crianças com Síndrome Alcoólica Fetal, que foram expostas ao alto consumo de bebida alcoólica na barriga da mãe, geralmente têm cérebros menores que o normal, defeitos em algumas áreas do cérebro e comunicação deficiente entre outras.

Outro estudo verificou mostrou que alguns alcoólatras podem apresentar morte de células do cérebro ao desenvolveram a síndrome de Wernicke-Korsakoff, um distúrbio grave que destrói a memória e é consequência da deficiência de tiamina causada pelo alcoolismo. Mas ao comparar com cérebro de outros alcoólatras que não desenvolveram a síndrome, foi concluído que essa morte das células foi causada pela deficiência de tiamina, uma vitamina B essencial para nosso corpo.

Vários fatores influenciam como e até que ponto o álcool pode afetar o cérebro, incluindo:

  • quanto e quantas vezes a pessoa bebe;
  • a idade que ela começou a beber e há quanto tempo vem bebendo;
  • a idade da pessoa, nível de educação, gênero, antecedentes genéticos e histórico familiar de alcoolismo;
  • se ela está em risco devido à exposição pré-natal ao álcool;
  • seu estado geral de saúde.

Danos no cérebro relacionados ao álcool

O consumo excessivo de bebida alcoólica por longos períodos da vida pode causar danos duradouros ou permanentes no cérebro, alguns deles são:

  • problemas de memória
  • dificuldade no aprendizado
  • problemas de equilíbrio e coordenação
  • mudanças de temperamento e personalidade
  • dificuldades de atenção e concentração
  • problemas de saúde mental como depressão e ansiedade

Os danos podem ser revertidos?

Na maioria dos casos os danos causados no cérebro podem ser revertidos com o tratamento correto. No caso das crianças com Síndrome Alcoólica Fetal (SAF), intervenção precoce como terapias que ensinam habilidades motoras, comunicação e interação social, podem ajudar a reduzir alguns problemas e prevenir algumas deficiências secundárias. Mas outros problemas de saúde físicos e mentais podem se desenvolver por muitos anos após exposição ao álcool no útero e persistirem por toda a vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.