Intoxicações causadas por peixes e mariscos

Comeu algum peixe e passou muito mal? Infelizmente alguns tipos de peixes possuem toxinas nocivas perigosas para nossa saúde, que inclusive podem levar à morte. Neste post falaremos sobre intoxicações causadas por peixes e mariscos, quais os sintomas, causas e o tratamento.

Escombrotoxicose

A escombrotoxicose ou intoxicação escombroide é causada pelo consumo de peixe estragado quando ele está contaminado por bactérias nocivas, que liberam um alto nível de histamina no peixe.

Deve-se fazer o congelamento do peixe a -15°C para desativar as bactérias, além de ter boas práticas de manuseio e sanitização. Apenas seis a doze horas fora da refrigeração já fazem aumentar os níveis de histamina nestes tipos de peixe. O cozimento do peixe antes de estragar também pode prevenir o desenvolvimento da toxina. Mas o cozimento, defumação, congelamento, cura após a contaminação, não removem a toxina.

Os principais peixes que podem causar esta intoxicação são os da família Scombridae, que inclui atum, cavala, cavalinha, serra e bonito.

Os sintomas desta intoxicação podem aparecer em minutos e até duas horas depois do consumo e podem durar de quatro a seis horas, normalmente não passando de dois dias. São eles:

  • enrubescimento da face e do pescoço
  • suor
  • calor intenso
  • queimação na boca e garganta
  • diarréia
  • dor abdominal
  • tontura
  • dor de cabeça
  • casos graves pode ocorrer visão turva e causar dificuldade respiratória (raro)

Para diagnóstico deve-se procurar um médico e explicar o alimento que comeu, ele irá solicitar exames laboratoriais e fazer avaliação dos sintomas. E no tratamento normalmente é recomendado carvão ativado, anti-histamínico, analgésicos, anti-inflamatórios e outros.

Ciguatera uma das intoxicações causadas por peixes

Uma intoxicação alimentar causada por peixes contaminados com ciguatoxina. Essa toxina é produzida por certos tipos de algas que os peixes consomem.

A ciguatoxina não é eliminada com o cozimento, se o peixe já estiver contaminado não tem o que fazer a não ser descartá-lo. A única maneira de evitar a contaminação neste caso é comprando peixes em locais confiáveis e restaurantes conhecidos. Não coma mariscos em regiões onde há concentração de algas.

Esta toxina no Brasil é encontrada em peixes como Xaréu, Pargo, Barracuda, Budião-azul, Cavalas, Bonitos, Garoupas, Cangulo-pavão, Baiacu-cofre, Ubarana-focinho-de-rato, Badejo-ferro e outros.

Intoxicações causadas por peixes e mariscos
Intoxicações causadas por peixes e mariscos, toxinas nocivas

Os sintomas gastrointestinais do envenenamento aparecem dentro de duas horas e os neutrológicos em seis horas. São eles:

  • vômito
  • diarréia
  • perda de sensibilidade na boca e membros
  • dores musculares e articulações
  • baixa pressão arterial
  • paralisia respiratória
  • bradicardia
  • edema pulmonar
  • em casos graves pode ocorrer estado de choque e morte.

Também não existe teste para diagnosticar a intoxicação, você deve procurar o médico e explicar sobre o peixe que comeu. Ele irá fazer avaliação dos sintomas e pedir alguns exames laboratoriais. E no tratamento normalmente é recomendado carvão ativado, anti-histamínico, analgésicos, anti-inflamatórios e outros.

Tetrodotoxina

Esta é uma neurotoxina potente produzida naturalmente em peixes Tetraodontiforme da qual fazem parte o baiacu e o peixe fugu do Japão e em estrela-do-mar, polvos, porco-espinho e outros. A toxina é liberada pelo próprio peixe como mecanismo de defesa e fica nas gônadas e outros tecidos viscerais, por isso não deve-se comer essas partes destes peixes. O melhor é evitar completamente o consumo.

Os sintomas aparecem dentro de 20 minutos a três horas depois de ingerir o peixe, são eles:

  • dormência ou paralisação dos lábios e língua
  • paralisia de face e extremidades
  • sensação de leveza
  • dor de cabeça
  • rubor facial
  • dor epigástrica
  • náusea
  • diarréia
  • vômito
  • dificuldade para andar
  • paralisia com dispnéia
  • hipotensão e cianose
  • convulsão
  • contração muscular
  • bradicardia
  • insuficiência respiratória

O grave é que, mesmo paralisado, o paciente permanece consciente e lúcido até próximo da morte. O óbito ocorre dentro de quatro a seis horas.

Também não existe teste para diagnosticar, o médico verificará o quadro clínico do paciente, por isso é importante informar o peixe que tiver comido. Nã existe tratamento específico nem antídoto.

Saxitoxina (STX)

Toxina paralisante produzida por algas que infecta mariscos que a consomem e se acumulam em seu organismo. A pessoa se intoxica ao comer estes mariscos contaminados crus ou cozidos, pois a toxina resiste ao conzimento, ou seja, mesmo que você cozinhe o marisco ainda sofrerá intoxicação.

A única maneira de se proteger contra esta contaminação é comprando mariscos de locais aprovados pelo governo, que tenham fiscalização. Não coma mariscos em regiões onde há concentração de algas.

Os sintomas podem aparecer imediatamente ou dentro de algumas horas e durar de dois dias à uma semana. Alguns sintomas são:

  • formigamento ou dormência da face
  • tontura
  • dor de cabeça
  • náusea
  • vômito
  • diarréia
  • paralisia respiratória
  • morte

Não existe tratamento específico nem antídoto, a única coisa que o médico poderá fazer é a respiração artificial com ventiladores.

Brevetoxina

Outra toxina presente em mexilhões e ostras produzida por algas que elas consomem. A pessoa é intoxicada ao comer estes mariscos e, assim como a saxitoxina, ela não é destruída com o cozimento, portanto não tem como remover a toxina.

A única maneira de se proteger é comendo em locais que tenham autorização, que sejam fiscalizados. Não coma mariscos em regiões onde há concentração de algas.

Os sintomas aparecem imediatamente ou algumas horas depois do consumo e podem durar por até três dias. Alguns deles são:

  • problemas gastrointestinais
  • tontura
  • dor de cabeça
  • dormência
  • formigamento

Também não existe teste para diagnosticar, o médico verificará o quadro clínico do paciente, por isso é importante informar o peixe que tiver comido. Não existe tratamento específico nem antídoto.

Ácido domóico

Toxina diarréica também presente em microalgas ingeridas pelos mariscos, os mariscos infectados intoxicam os humanos que os consomem. Assim como a saxitoxina e a brevetoxina, o ácido domóico não pode ser removido por cozimento.

A única maneira de se proteger é comendo em locais que tenham autorização, que sejam fiscalizados. Não coma mariscos em regiões onde há concentração de algas.

Os sintomas de problemas gastrointestinais aparecem dentro de 24 horas e os neurológicos em 48 horas, podem durar por dois dias ou mais. Alguns destes sintomas são:

  • alteração intestinal
  • desorientação
  • confusão
  • convulsões
  • perda de memória de curto prazo
  • morte (nos casos graves)

Também não existe teste para diagnosticar, o médico verificará o quadro clínico do paciente, por isso é importante informar o peixe que tiver comido. Não existe tratamento específico nem antídoto.

Ácido ocadaico

Outra toxina presente em mexilhões e ostras produzida por algas que elas consomem. A pessoa é intoxicada ao comer estes mariscos, mesmo se estiverem cozidos, pois é resistente ao cozimento.

A única maneira de se proteger é comendo em locais que tenham autorização, que sejam fiscalizados. Não coma mariscos em regiões onde há concentração de algas.

Os sintomas podem aparecem dentro de 30 minutos a algumas horas, e podem durar alguns dias. Estes são os sintomas mais comuns:

  • diarréia
  • náusea
  • vômito
  • febre e calafrios (raro)

Também não existe teste para diagnosticar, o médico verificará o quadro clínico do paciente, por isso é importante informar o peixe que tiver comido. Não existe tratamento específico nem antídoto. O paciente deve se manter hidratado até desaparecerem os sintomas.

Neste post das intoxicações causadas por peixes e mariscos tentamos trazer um resumo dos perigos das biotoxinas marinhas, seus sintomas e tratamentos. É preciso ter muito cuidado ao consumir mariscos, as toxinas que podem estar presentes causam problemas gravíssimos, inclusive morte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.