Ainda podemos pegar a peste negra?

Ainda podemos pegar a peste negra, ela ainda existe? Muitas pessoas têm feito esta pergunta principalmente após as notícias sobre chineses terem pego a doença. Para se ter uma idéia, de 2010 a 2015 foram reportados 3248 casos no mundo com 584 mortes (Organização Mundial da Saúde). Será que há riscos no Brasil? A seguir falaremos sobre a transmissão da peste bubônica, também conhecida como peste negra ou praga, quais os sintomas e riscos.

Ainda podemos pegar a peste negra?

A verdade é que sim, ainda podemos ser contaminados pela peste, pois as bactérias responsáveis por ela ainda estão soltas na natureza. Infelizmente não existe vacina para essa doença mas ela é tratável com antibióticos, se não for tratada a morte é certa.

É uma das doenças mais mortais que atingiu os humanos, matando aproximadamente 25 milhões de pessoas na Europa na Idade Média. Somente a varíola matou mais pessoas.

Como a pessoa pode pegar peste?

Sabe-se que a doença é causada pela bactéria Yersinia pestis normalmente encontrada em mamíferos pequenos (roedores) e em suas pulgas. Sendo que a contaminação em humanos pode ser por mordida da pulga, contato com fluidos corporais infecciosos ou materiais contaminados e por inalação de gotículas respiratórias ou partículas de um paciente com peste pneumônica.

Ainda podemos pegar a peste negra? Transmissão e sintomas
Ainda podemos pegar a peste negra? Transmissão e sintomas

Quais os sintomas? Como saber que está com a doença?

Existem três categorias da peste que dependem do quanto o corpo da pessoa está infectado:

  • Peste bubônica – é a cepa mais comum da doença, quando a pulga morde e a bactéria penetra no corpo viajando pelo sistema linfático até o linfonodo mais próximo onde se autorreplica. O linfonodo fica então inchado e dolorido, e são chamados bubões. Podem ficar do tamanho de um ovo e aparecerem na virilha, axilas e pescoço. Em estágios avançados podem se transformar em feridas abertas cheias de pus;
  • Peste septicémica – quando a doença infecta a corrente sanguínea e leva ao escurecimento e morte dos tecidos nos dedos dos pés, dedos das mãos e nariz;
  • Peste pneumônica ou pulmonar – caso mais grave da doença e mais virulenta, pois afeta os pulmões e a pessoa pode espalhar facilmente para outra pela tosse. Além disso é fatal, mas as taxas de recuperação são altas se detectada a tempo (24 horas após o início dos sintomas).

O perigo é justamente que a peste bubônica se não tratado pode se transformar em pneumônica. É uma doença que age rápido, por isso deve ser tratada assim que aparecerem os sintomas.

As pessoas infectadas com a peste normalmente desenvolvem doença febril aguda com outros sintomas sistêmicos inespecíficos por um período de incubação de um a sete dias, com início repentino de febre, dores de cabeça e corpo, calafrios, fraqueza, náusea, e vômito.

Por que a praga ainda existe?

Pois é uma doença que afeta também animais, uma pequena parte de roedores ainda vivem com a bactéria, ficando praticamente impossível erradicá-la. A não ser que todas as populações de roedores infectados sejam exterminadas.

Como se proteger da peste negra?

Não existe vacina contra a peste. Para se ter uma idéia, algumas pessoas foram infectadas depois de ingerirem rins de marmota crus. A melhor maneira de se proteger contra a doença é a prevenção:

  • Deve-se tomar precauções contra picadas de pulgas (mantenha roedores fora de casa e animais livre de pulgas);
  • Não mexer em carcaças de animais mortos;
  • Evite contato direto com fluidos e tecidos corporais infectados.

É uma doença presente em áreas rurais que não possuem saneamento básico ou onde tem grande quantidade de roedores, ratos, coelhos, esquilos, gambás e outros. Caso tenha visitado um local assim e ficar doente, procure o médico.

Assim que a pessoa for diagnosticada deve fazer o tratamento com antibiótico, pois os sintomas progridem muito rápido. O antibiótico mais utilizado é a estreptomicina, mas já foram encontrados casos resistentes a este remédio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.