O que é a Ritalina e como funciona

O que é a Ritalina e como funciona? A Ritalina é o nome comum para Metilfenidato, remédio usado para tratar Déficit de Atenção TDAH, que funciona modificando a quantidade de substâncias naturais no cérebro. É classificada como uma droga estimulante que pode aumentar a capacidade de prestar atenção e manter o foco. A seguir falaremos mais sobre este droga controversa.

O que é a Ritalina e como funciona

A Ritalina tem a mesma classificação da cocaína, morfina e anfetaminas nos Estados Unidos. São drogas com alto potencial de abuso, e seu uso pode levar à grave dependência psicológica ou física. Por isso não pode ser interrompido repentinamente, deve-se reduzir a dose gradualmente. E quando usado por muito tempo pode não funcionar bem ou parar de funcionar por completo.

Por isso é um dos remédios mais controversos indicados para crianças que sofrem de TDAH. Além de TDAH, ela também é indicada para quem sofre de narcolepsia, um tipo de distúrbio do sono.

Alguns efeitos colaterais

O que é a Ritalina e como funciona
O que é a Ritalina e como funciona
  • Aumento na pressão sanguínea e batimentos cardíacos;
  • Perda de apetite e peso;
  • Problemas para dormir;
  • Dor de cabeça;
  • Dor de estômago;
  • Mudanças de humor (nervosismo, agressão, pensamentos suicídas);
  • Tremor;
  • Visão embaçada.

Interações que podem ocorrer com a Ritalina

  • Pode diminuir efetividade de medicamente para hipertensão;
  • Contraindicado em pacientes que tomam inibidores da MAO;
  • Pode reagir com álcool;
  • Pode reagir com anestésicos causando aumento repentino da pressão sanguínea;
  • Risco de morte súbita se utilizada com clonidina;
  • Pode reagir com medicamentos dopamérgicos;
  • Não recomendado tomar com fármacos serotoninérgicos.

Como funciona a Ritalina no corpo?

A Ritalina funciona aumentando os níveis de dopamina no cérebro, aumentando a atividade cerebral, particularmente em áreas que desempenham um papel no controle da atenção e do comportamento.

Algumas pesquisas mostraram que o cérebro de crianças com TDAH tem pouca dopamina, necessária para realização de vários funções cerebrais vitais. A pesquisadora envolvida nesta pesquisa explicou que a Ritalina tem que ser administrada em último caso, quando nada mais deu certo para a criança. Isto porque não se sabe quais os efeitos a longo prazo do uso deste medicamento, nem se ocorrem mudanças profundas no cérebro da criança, como acontece com usuários de cocaína e outras drogas da mesma classificação.

Portanto, sempre procure o médico antes de administrar qualquer remédio ao seu filho ou filha. Se necessário procure mais de uma opinião, para ter certeza que a criança precisa deste medicamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.